sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Jenilson: “A geografia da disputa é importante para apontar o vice da FPA”


Com as chapas majoritárias praticamente prontas na FPA e na oposição as atenções se voltam para os candidatos a vice. Na FPA, o PC do B está reivindicando um lugar. O deputado estadual Jenilson Leite (PC do B) defende a tese que o nome saia do seu partido e representando a região de Tarauacá-Envira. Acompanhe a entrevista com o deputado comunista sobre o assunto.
ac24horas – Deputado Jenilson como você acha que deve ser o processo de escolha de vice na FPA?
Jenilson Leite – É precisa olhar para a representatividade dos partidos que compõe a nossa Frente. Nós achamos que diante da realidade e da força que os partidos foram acumulando o PT chegou à condição na FPA de poder indicar o candidato ao Governo e os dois ao Senado, o que nos coloca em boas condições de disputa com as outras forças de oposição. Mas achamos que existem três espaços, os dois suplentes ao Senado e a vice que requerem um olhar diferenciado. É preciso interagir com os demais partidos da FPA para que assim todos se vejam em condições de poder durante as eleições impulsionar a sua militância em prol desse projeto.
ac24horas – Mas você não acha que o fato do PT indicar os principais cargos na chapa majoritária, governador e dois senadores, não é muita coisa para um único partido coligação que tem outros 15?
JL – Eu acho que há momentos em que a gente está com força para tomar essas atitudes. E hoje o PT no Acre tem força política para tomar essa decisão. Mas não são em todos os momentos que a gente tem essa força para tomar as decisões que a gente deve toma-la. Eu acho que estamos num momento em que a FPA completa 20 anos e que é preciso animar a militância de todos os partidos garantindo representatividade política. Os partidos não querem apenas estar no Governo para ganhar e ocupar cargos comissionados. Os partidos querem também protagonizar na política. O nosso partido sempre foi um aliado ao projeto da FPA e se posicionou de maneira firme nos momentos de dificuldades da FPA. Nunca estivemos ausentes nas lutas populares, é um partido que têm dois prefeitos, dezesseis vereadores, um deputado estadual e um federal. Temos militância nos 22 munícipios acreanos com diretórios funcionando durante todo ano. Essa força precisa ser enxergada e ouvida por conta de que não é qualquer força política que tem se comportado como o PC do B.
ac24horas – O fato de 2010 e 2014 o PC do B ter indicado os candidatos ao Senado, Edvaldo Magalhães e Perpétua Almeida, que perderam, é um fator de enfraquecimento do partido nas chapas majoritárias da FPA?
JL – De forma nenhuma porque outros partidos já indicaram senadores, governadores e prefeitos que também perderam. Se a gente for falar dos majoritários da FPA que perderam não dá para contar nos dedos. Então esse não deve ser um fator importante. Mas além dos partidos temos que olhar para a geografia da disputa. Nós acreditamos ser importante um vice da região Tarauacá-Envira que foi onde historicamente garantiram os votos da vitória do projeto da FPA. Porque no Juruá vai ter um candidato a governador que é o Gladson (PP). Na Capital, temos um candidato dessa região que é o Marcus Alexandre (PT). Assim o PC do B está enxergando e reivindicando um candidato do Tarauacá-Envira. Temos dois nomes, o do deputado federal Moisés Diniz (PC do B) que tem um histórico de comprometimento com o projeto da FPA. Além do meu nome, também à disposição para esse debate.
ac24horas – Você tem intenção real de ser candidato a vice? No seu primeiro mandato de deputado estadual isso seria um ganho para a sua carreira política?
JL – A gente tem que estar na vida pessoal e pública pronto para as mudanças e desafios. Quando terminei a minha especialidade médica como infectologista trabalhava nas unidades de saúde cumprindo o papel de salvar vida. Eu estava muito satisfeito. Então fui convidado a ser candidato a deputado estadual. Eu pensei em não ser candidato. Mas topei o desafio, ganhei a eleição e hoje desempenho um papel honrando os votos que recebi. Se a FPA entender que tenho que cumprir o papel de vice estarei à disposição.
ac24horas – Você acha que a escolha do vice vai ficar entre quais partidos da FPA?
JL – Precisamos de uma chapa plural com uma boa representatividade dos partidos.
ac24horas – Em 2016, na disputa da prefeitura de Rio Branco, a FPA optou por uma vice, a Socorro Nery (PSB), que vinha de partidos considerados de centro-direita, PSDB e PMDB. Com esse desgaste dos partidos de esquerda você não acha que a tendência é também colocar alguém com esse perfil?
JL – Esse é um momento de crise política e de credibilidade. Acho que o vice que cai bem é o que tem serviço prestado, empenho, compromisso com a população e, claro, aquele que tem votos também. O vice não pode atrapalhar, porque isso cria dificuldades para o candidato a governador. Agora, se conseguirmos colocar um vice que além de não atrapalhar possa trazer votos, ajudar no debate e apresentar projetos acho que essa é uma junção que ajuda muito.

Jenilson e SPATE pedem que Secretário Estadual de Saúde apresente cronograma de convocação de concursados


A Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) recebeu na manhã desta quinta-feira (17) representantes do Sindicato dos Profissionais Auxiliares de Técnicos de Enfermagem e Enfermeiros do Estado do Acre (Spate/AC). Na pauta, a necessidade de convocação dos aprovados nos últimos concursos da Sesacre. Os profissionais reclamam da demora nas contratações e o déficit de pessoas nas unidades de saúde do Estado.
Nesse sentido, o deputado Jenilson Leite (PCdoB) garantiu se reunir com a chefe da Casa Civil do governo do Estado, Márcia Regina, para tomar conhecimento dos fatos em relação ao assunto. Ele pontuou que o problema tem que ser encarado de frente, tendo em vista que há uma determinação judicial para a saída dos profissionais contratados pelo Pró-Saúde. O parlamentar defendeu o diálogo como caminho para uma solução que beneficie a todos, sem prejuízos para o usuário do SUS.
"É preciso um planejamento. Fala-se em acabar com o Pró-Saúde, mas queremos saber qual a proposta, qual a estratégia de reposição desses profissionais. Precisamos saber a sinalização do governo. Me comprometo acompanhá-los na reunião que terão junto à Sesacre", disse o deputado ao relatar sobre a reunião que acontecerá  na terça -feira (22), na sede da Secretaria Estadual de Saúde.
Corroborando com a fala do deputado Jenilson Leite, o deputado Nelson Sales (PV) disse que um estudo para realocação e contratação de servidores se faz necessário. O parlamentar teme que caso sejam contratados de última hora, o impacto para o usuário poderá ser maior. São necessárias ações gradativas. "Se deixar tudo para março ou abril, o impacto será maior", defendeu ele.
A presidente do Spate/AC, Rosa Moreira, agradeceu aos membros da Comissão de Saúde da Aleac pela receptividade ao tema apresentado e destacou que é necessário também uma revisão na carga horária nos plantões extras. Atualmente o limite é de 15 horas, entretanto, a ideia é que esse percentual caia para apenas 10 horas. Para a sindicalista, isso permitiria a contratação de novos profissionais e evitaria a sobrecarga de trabalho. "A gente precisa rever aqui na Aleac essa questão dos plantões, que sejam de 10 horas apenas. Hoje são 15 horas", disse ela.

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

enilson Leite solicita reforma imediata da ponte que liga Brasiléia a Epitaciolândia


O deputado estadual Jenilson Leite (PCdoB) apresentou uma indicação à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) para que o governo do Estado, através do Departamento de Estradas e Rodagens do Estado do Acre (Deracre) providencie a imediata reforma da ponte de Brasiléia/Epitaciolândia, bem como a devida pintura e sinalização.
O deputado justificou que a indicação visa garantir a qualidade da trafegabilidade entre os municípios localizados na região de fronteira, com a reforma da ponte que liga as duas cidades, bem como sua pintura e sinalização.



“A ponte é o principal meio acesso entre os municípios, onde inúmeras pessoas a utilizam para ir ao trabalho, levar os filhos na escola, entre outras atividades”, justificou.
O parlamentar esteve no último final de semana na cidade de Brasiléia participando de uma plenária da Frente Popular do Acre, e na ocasião recebeu essa reivindicação dos moradores das duas cidades da fronteira.
Segundo Jenilson, os moradores relataram que devido à precária sinalização e deterioração da ponte, têm gerado incontáveis transtornos aos condutores, aumentando, assim, os riscos de acidentes.
“Pensando no bem comum da sociedade da população destes dois municípios, solicito que o Deracre providencie de imediato a reforma, pintura e adequada sinalização, para garantir a qualidade da trafegabilidade aos moradores da região do Alto Acre”, cobrou Leite.
O deputado também destacou as mudanças significativas pós-cheia que vêm sendo implantas pela atual gestora, Fernanda Hassem (PT).
“A cidade está mais bonita, sendo bem cuidada, os prédios públicos, as ruas e as praças foram reformadas, precisamos de uma ponte mais segura e mais bonita”, concluiu Jenilson.
fonte: Folha do Acre

Com quase 7 mil procedimentos realizados, Hemocardio é homenageado na Aleac


Para celebrar o dia do cardiologista, a ALEAC ( Assembleia Legislativa do Acre) realizou uma sessão solene para homenagear os profissionais da área na manhã desta quarta-feira ( 16). A sessão foi proposta pelo deputado Jenilson Leite ( PCdoB), que é médico e membro da Comissão de saúde.A data é comemorada no dia 14 de agosto.
A sessão festiva foi realizada no Plenário da Casa com a participação de representantes da secretaria de Saúde, de profissionais de Cardiologia e de usuários da rede pública de saúde. A solenidade também homenageou a atuação da Hemocardio no Estado do Acre.
A escolha desta data para celebrar o Dia do Cardiologista foi feita pela Sociedade Brasileira de Cardiologia, com o objetivo de reforçar a importância do trabalho deste profissional, além de alertar a população sobre os cuidados que devem ter com a saúde do coração. Oficialmente, o Dia do Cardiologista é celebrado desde 2007 no Brasil.
Em pronunciamento o deputado Jenilson Leite frisou que a atuação do médico-cardiologista é essencial para prevenir e combater as doenças, bem como para melhorar a qualidade de vida da população. Ele também enalteceu a atuação da Hemocardio, que segundo ele, presta um serviço de excelência no Estado do Acre desde 2011.
“Esse serviço desenvolvido pelo Hemocardio tem sido de grande utilidade para o povo acreano. O Hemocardio se instalou em 2011 e tem demonstrado ser responsável, resolutivo e ter tido muito sucesso no que faz. A gente tem na política, sempre que colocar na pauta do dia algo relacionado à área da saúde, mas de forma nenhuma podemos tornar a crítica uma máxima. O ser humano também se move pela motivação de ter um serviço prestado reconhecido”, disse o parlamentar.
Rogério Holanda, médico cardiologista, contou um pouco da história do Centro Hemodinâmico e Cardiológico de Rio Branco (Hemocardio) que foi inaugurado em 2011. Ele ressaltou que o centro já atingiu a marca de 800 cirurgias cardíacas realizadas, e que até o final do ano chegará a 1000.
“Instalamos o Hemodinâmico Cardíaco no Acre por saber da necessidade do serviço de cirurgia vascular no Estado. Fizemos o projeto e graças a Deus tivemos o total apoio do governador Tião Viana. Foi uma caminhada árdua, muito difícil, mas, graças a Deus deu certo. A implantação do Hemodinâmico foi um marco histórico para o Estado e para minha vida. Estamos batendo a marca de quase mil cirurgias cardíacas realizadas e isso nos deixa bastante orgulhosos e felizes”, enfatizou.
A diretora do Hemocardio , Regiane Holanda, uma das fundadoras do Hemocardio, disse que observando a demanda de pacientes do Acre, um grupo de cinco médicos resolveu instalar um centro de atendimento no Estado. Ela frisou que o apoio do governador Tião Viana (PT) foi fundamental para que o projeto saísse do papel e torna-se uma realidade com quase sete mil atendimentos realizados.
“Quero agradecer ao governador Tião Viana. Se ele não tivesse incentivado e acreditado, nada disso teria sido acontecido. Quando voltamos para Rio Branco, nós vimos que a realidade dos pacientes cardiopatas tem sido muito complicada. Os pacientes do acre estavam se acumulando”, relata.
Para o presidente do Conselho Regional de Medicina, doutor Virgílio Prado, a Hemocardio presta um serviço de excelência para a população acreana. “Não há condições de não termos um serviço desse no Acre, as pessoas morreriam se não fosse a atuação da Hemocardio no Estado. A implantação desse serviço foi um grande marco para o povo acreano. Graças a equipe da Hemocardio e ao serviço de excelência que eles prestam, centenas de procedimentos cardíacos puderam ser realizados. As cirurgias são feitas de maneira primorosa, são realizadas com tranquilidade por uma equipe que trabalha sempre em harmonia”, destacou.
O deputado Raimundinho da Saúde ( Podemos), presidente da comissão de saúde, também participou da solenidade.
Uma das marcas do mandato de Jenilson Leite, tem sido trazer as categorias das diversas áreas de trabalho para dentro da Casa do Povo, principalmente os trabalhadores da saúde.

Deputado Jenilson Leite critica politicagem sobre temas no plenário da Aleac


Durante a sessão desta terça-feira (15), o deputado Jenilson Leite (PCdoB) falou sobre os consecutivos discursos no plenário da Assembleia Legislativa sobre a BR-364, violência e saúde. O parlamentar criticou deputados que usam esses temas para fazer politicagem.
“BR-364, violência e saúde são temas rotineiramente tratados aqui nesta tribuna, o problema é que muitas vezes as pessoas que falam só fazem isso com a intenção de criticar e nunca apontam uma solução. Parlamentares que antes falavam da situação da BR, atualmente se calam porque sabem que a responsabilidade não é mais do governo estadual”, criticou o parlamentar.
Jenilson afirmou que torce para que a BR-364 não feche, pois sabe que esse tema vai além de uma disputa política, e caso isso ocorra irá prejudicar milhares de pessoas que dependem da via para ter qualidade de vida. Ele finalizou seu discurso dizendo que não adianta parlamentares fazerem discursos emotivos, carregados de ódio, se não apontam nenhuma solução para os problemas que destacam.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Esporte: Atlético empata e recoloca futebol acreano na Série C


“Galooooo, galooooo, galoooo, galoooooo”, o grito confiante dos mais de 6 mil torcedores, mesmo antes da bola rolar, era o prenúncio de uma tarde de conquista para o futebol do Acre.
O Atlético Acreano, o galo do 2º Distrito como é chamado pela sua torcida, que já havia vencido o primeiro jogo por 1 a 0, empatou neste domingo, 13, com o São José de Porto Alegre e conseguiu uma das quatro vagas de acesso para a terceira divisão do futebol brasileiro no ano que vem. Com o empate em 1 a 1, além do acesso, o Atlético ainda se classificou para as semifinais do Brasileirão Série D 2017. Desde o ano de 2013 o futebol acreano não disputava a terceira divisão do futebol brasileiro.
O atual bicampeão acreano começou o jogo disposto a mostrar que a vaga na Série C tinha dono. Logo aos 6 minutos do primeiro tempo, Rafael, o “Rafagol”, driblou o zagueiro e com muita categoria fez o primeiro do galo. Com o resultado que garantia a vaga, o time acreano recuou e deu espaço ao time gaúcho que não conseguiu chegar ao gol de empate.
Final da primeira etapa, Atlético 1 a 0.
No segundo tempo, o time de Porto Alegre começou colocando pressão no galo. Nos primeiros 10 minutos, o domínio foi todo do São José. Se no campo as coisas estavam ficando difíceis, a torcida, na arquibancada, dava um show, cantando e incentivando o time acreano. O apoio do torcedor deu certo e quase que Careca faz o segundo do Atlético. A partida seguiu igual, com o São José pressionando e tentando o gol de empate, mas sem conseguir furar bloqueio na defesa atleticana, só que aos 44 minutos do segundo tempo, Flávio Torres, de bicicleta, fez um belo gol e deixou tudo igual.
O árbitro deu mais 5 minutos de acréscimo e aí foi drama até o final. Aos 50 minutos o apito final foi a deixa para a festa da torcida atleticana que vibrou com a classificação histórica, já que é o primeiro acesso que um equipe do Acre consegue no futebol brasileiro. Emoção dentro de campo com muitos jogadores chorando e na arquibancada com os torcedores que não conseguiram segurar a emoção.
O goleiro Miller era um dos mais emocionados. “Foi no sufoco, mas futebol é assim mesmo. Conseguimos um belo resultado e essa classificação é para essa torcida que tanto nos apoiou”. O atacante Eduardo homenageou os pais. “Esse título é para o meu pai e todos os pais que nos incentivaram durante todo o campeonato”.
Um dos responsáveis pela classificação, o técnico Álvaro Migueis, lembrou que o resultado é fruto de um trabalho de mais de uma década. “Esse time que conseguiu essa classificação já tem 15 anos e conseguiram mudar a história do Atlético Acreano”.
O time acreano agora vai em busca do título da Série D e se junta ao Globo do Rio Grande do Norte, Operário do Paraná e Juazeirense da Bahia que também conseguiram o acesso e estão classificados para as semifinais da competição.



Jenilson Leite visita unidade mista de Saúde de Vila Campin



Na manhã de quinta-feira(10),  o deputado estadual  Jenilson Leite ( PCdoB) que é médico e membro da comissão de saúde da ALEAC  acompanhado do professor Camilo, visitou a unidade mista de saúde de Vila campinas Ana Nery. A vila é um distrito do município de Plácido de Castro, distante da capital Rio Branco a 60 quilômetros.

 Na visita, o deputado teve a oportunidade  de ver de perto os problemas da unidade de saúde. E levará o problema ao  secretário de saúde e ao governador para que possa ser  solucionado a problemática.

Segundo a gerente geral, Maria Amâncio, a  unidade precisa de reforma nas estruturas  e também solicitou uma ambulância para a comunidade. " Ficamos felizes com a presença do deputado, porque desta forma ele conhece a real situação dos problemas, aproveito a visita do parlamentar para  pedir que cobre do secretário uma reforma estrutural e também nos conceda uma SAMU. Porque quando acontece algum problema temos que ligar para Plácido de Castro".  

Ainda segundo Maria Amâncio, além da população local , são atendidas na unidade de saúde as  pessoas da zona rural e parte de Senador Guiomard. " Aqui são atendidas a comunidade local, moradores da zona rural e de Senador Guiomard. A unidade móvel servirá para ir buscar pacientes nos ramais e atender as ocorrências mais urgente na Vila".


O deputado Jenilson Leite, disse que ao retornar para a capital levará os problemas ao secretário de saúde e ao governador. " Buscarei uma solução para o problema junto ao nosso governador e o secretário de saúde. Na qualidade de médico, entendo que precisamos ter um ambiente que ofereça comodidade aos pacientes e aos trabalhadores. Deste modo, teremos uma saúde de qualidade".

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Deputado Jenilson Leite propõe a descentralização de cirurgias para atender a demanda reprimida no Estado do Acre


O deputado estadual Jenilson Leite (PCdoB) fez um relato sobre o debate da audiência pública de prestação de constas da Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre), realizado na segunda-feira (8) e apresentou um requerimento solicitando um amplo debate para reduzir a fila de cirurgias no Estado com a descentralização dos procedimentos e uso dos centros cirúrgicos instalados em outros municípios no interior.
Segundo Leite, apesar das dificuldades, os investimentos que estavam previstos na área de saúde foram feitos. “Do que estava previsto, do ponto de vista constitucional, que é 12% – a secretária investiu R$ 35 milhões a mais, totalizando 14% – mas a demanda crescente resulta em problemas como a fila de cirurgias no Hospital das Clínicas do Acre, que precisa ser tema de um amplo debate”, destaca.
Para Jenilson Leite, a fila de cirurgia da Sesacre não deixa de ser um problema da atenção segundaria, quando pessoas têm procurado deputados em busca de intervenção. “Estou apresentando um requerimento para fazer um debate específico desta questão e fazer a descentralização para unidades no interior que têm condições de resolver alguns tipos de procedimentos que estão na fila da Sesacre”.
O parlamentar acredita que é necessário chamar os representantes da Sesacre, Fundhacre e Hospital das Clínicas e Ministério Público “para avançar na descentralização e, inclusive, economizar recursos”. O comunista pretende ainda fazer a pactuação “onde se faça uma previsão do que é necessário para investir na compra de medicamento e não tenha falta de medicamentos em Rio Branco e no interior”.
Outra questão levantada por Jenilson Leite é em relação à emergência clínica do Huerb. “Onde chegam todos os pacientes graves do Estado. Precisamos ter um trabalho afinado, com uma equipe com a quantidade de servidores suficiente para tratar bem os pacientes que chegam. Porque se chegar e não for atendido e tempo hábil poderá deixar sequelas nos pacientes”, finaliza o comunista.

Jenilson pede agilidade na fila de cirurgia e mais segurança nas unidades de saúde

O deputado Jenilson Leite (PCdoB), membro da Comissão de saúde da ALEAC, presidiu a audiência pública que a comissão realizou, em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde para fazer a prestação contas relacionada ao 1º quadrimestre de 2017. O encontro nesta segunda-feira (7), no plenário do Parlamento.


Jenilson Leite ressaltou que a iniciativa é salutar, pois apresenta os resultados daquilo que foi proposto pela gestão estadual e como os recursos foram aplicados.”Queria dizer que esse é um exercício salutar e importante que se faz necessário a cada momento, sobretudo nesse momento difícil da história do nosso país. Essa crise traz complicadores para os gestores e para quem espera o serviço. Essa Casa está atenta ao trabalho desenvolvido pela Sesacre. Penso que esse espaço é um momento importante diante das dificuldades que a Sesacre está enfrentando para ampliar sua política de Saúde. Nós temos considerações a fazer do ponto de vista do parlamento, trazendo aqui algumas problemáticas que chegam até nós”, pontua o deputado acreano.
Já o deputado Chagas Romão (PMDB), pontuou que é necessário a discussão ampla a respeito da aplicabilidade dos recursos. “É um momento importante para nós. Que nós parlamentares participemos desses debates para ajudar a contribuir para a melhoria da nossa Saúde. Estou aqui para me inteirar mais dos serviços prestados pela Secretaria, porque somos muito cobrados”, disse o parlamentar.
O diretor de Planejamento e Desenvolvimento Institucional da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), João Francalino, apresentou as explicações referentes aos investimentos. Ele frisou que daquilo que está previsto em lei que é aplicação de 12% dos recursos arrecadados em Saúde, o Estado aplicou a mais R$ 30 milhões. No período analisado, ele disse que dois indicadores são importantes ser frisados. O primeiro é o sobre o quantitativo de óbitos maternos, que em relação a 2016 ocorreu apenas um óbito. No indicador óbitos por dengue não houve registro de mortes no período.
Após a explanação do diretor de Planejamento, João Francalino, secretário Adjunto de Administração e Finanças da Sesacre, Kleiber Guimarães disse que “as demandas são inúmeras” e o “desafio é grande”, mas o trabalho diuturno tem garantido bons resultados a Saúde do Acre.
“O desafio é grande, não é pequeno. Trabalhamos diuturnamente de segunda a segunda, as demandas são inúmeras. Não é fácil saber o que priorizar. O coberto é curto e os recursos escassos. Temos que olhar e colocar as nossas problemáticas. O desafio maior da Saúde é esse, lutar pro um SUS melhor e buscar alcançar os recursos do Ministério da Saúde por meio do apoio de todos”, destaca.
Representantes do conselho Estadual de saúde fizeram várias falas pedindo explicações e ampliação do debate na hora de decidir por investimentos, afirmaram que está faltando diálogo entre gestão e conselho. Que é preciso olhar mais para os municípios e ter mais agilidade na tomada de decisão.
Jenilson Leite é médico infectologista e durante estes dois anos e meio de mandato já teve dois projetos na área da saúde aprovado e sancionado pelo executivo. Pediu celeridade na reposição de recursos humanos nos municípios isolados, da fila de cirurgia e mais segurança nas unidades de saúde. Além disso, já propôs a realização de várias outras audiências públicas para debater os problemas da saúde no Estado como fila de cirurgia, convocação de concursados, serviço de emergência clínica no HUERB, assistência farmacêuticas segurança hospitalar. O deputado já protocolou requerimentos para aprofundar esses temas em outras audiências.

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Projeto de autoria do Deputado Jenilson Leite que cria o Dia de Combate ao Câncer de Estômago é sancionado no Acre

Dia 28 de setembro deve ser usado para qualificar profissionais e esclarecer pessoas sobre a doença. Lei foi publicada no DOE na quarta 19 de julho


A lei nº 3.270 que cria o Dia do Combate ao Câncer de Estômago foi sancionada na quarta-feira 19 de julho pelo governador do Acre, Tião Viana (PT-AC). A determinação, que foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE), diz ques comemorações relacionadas ao tema devem ser feitas em 28 de setembro.

Conforme a publicação, a data passa a integrar o calendário oficial de eventos do estado e tem com objetivo principal esclarecer a sociedade sobre a doença e os sintomas causados por ela. O dia também deve ser usado para qualificar profissionais de saúde para as ações de tratamento e prevenção.

A lei diz ainda que o Poder Executivo pode atuar em conjunto com as instituições devidamente legalizadas para tratar o tema promovendo palestras, seminários e outras campanhas públicas que visem o esclarecimento sobre o câncer de estômago. A lei entrou em vigor a partir da data de publicação.